Aeroporto de Itanhaém é incluído em pacote do Governo Federal

Serão investidos R$ 8,5 bilhões em 11 aeroportos, sendo seis somente do Estado de São Paulo. O Governo Estadual é responsável pela administração desses locais, que passarão à iniciativa privada

Fonte:Diário do Litoral

O Aeroporto de Itanhaém — Antonio Ribeiro Nogueira Júnior — foi incluído no Plano de Aviação Regional do Governo Federal, dentro do pacote de investimentos federais orçado em R$ 198 bilhões para todo o País. Os aeroportos de Bragança Paulista, Campinas, Araras, Ubatuba e Jundiaí, todos no Estado de São Paulo, também receberão obras. O Governo Estadual é responsável pela administração desses locais, que passarão à iniciativa privada, proporcionando condições de expansão da atividade de aviação regional.

O plano faz parte da nova etapa do Programa de Investimentos em Logística do Governo Federal que irá melhorar também as unidades de Porto Alegre, Salvador, Florianópolis e Fortaleza, além de sete regionais (seis em SP). Os investimentos totalizam R$ 8,5 bilhões. Os novos leilões, programados para o primeiro trimestre de 2016, irão ampliar a infraestrutura, melhorar a qualidade de serviços, trazer inovação e experiência de operadores internacionais, incentivar o turismo, aperfeiçoar o transporte de cargas e criar novos hubs regionais. As outorgas irão permitir investimentos privados de R$ 78 milhões.

A presidente Dilma Rousseff anunciou que o investimento no setor de transporte no Brasil será para modernizar aeroportos, rodovias, ferrovias e portos. Os projetos beneficiam 20 estados e 130 municípios. Uma parcela de R$ 69,2 bilhões está prevista para o período de 2015 a 2018. A partir de 2019, devem se somar os R$ 129,2 bilhões restantes, incluindo o projeto da ferrovia Bioceânica até o Peru. O plano estima em R$ 40 bilhões o investimento no trecho brasileiro da ferrovia em parceria com chineses e peruanos.

Dilma Roussef garantiu que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) será uma das fontes de recursos para os projetos anunciados, juntamente com as captações das empresas privadas por meio de títulos no mercado de capitais. “O financiamento de longo prazo por meio de bancos públicos ainda é muito importante no Brasil”, finalizou.

Aeroporto de Itanhaém está entre os seis paulistas a receber investimento (Foto: Matheus Tagé /DL)

Aeroporto de Itanhaém está entre os seis paulistas a receber investimento (Foto: Matheus Tagé /DL)

 

Prefeito costura desde o ano passado

Segundo a Prefeitura, a ‘costura’ para esse investimento no Município remonta fevereiro do ano passado, ocasião em que o prefeito Marco Aurélio Gomes (PSDB) foi recebido pelo então ministro da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Wellington Moreira Franco. No encontro foi discutida a questão do processo de concessão dos aeródromos paulistas, incluindo o de Itanhaém.

O ministro recebeu um relatório mostrando a importância do aeroporto no contexto socioeconômico da Região Metropolitana da Baixada Santista, bem como as últimas ações como a implantação de uma central de aviação civil e a implantação de um terminal de passageiros pela Petrobras.

Embora os processos de concessões estivessem sendo conduzidos pelo Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp), em conjunto com a Agência Reguladora dos Transportes do Estado (Artesp), os mesmos dependiam de uma portaria da SAC, que chegou a ser publicada em janeiro daquele ano, mas foi revogada dias depois da publicação.

 

A reunião em Brasília foi considerada decisiva para que a SAC pudesse rever a questão e incluir Itanhaém no plano de aviação regional. “Não há como negar que o aeroporto itanhaense cumpre hoje um papel importante dentro da aviação regional. O local serve como base de operações aéreas da Petrobras, que já construiu um terminal de passageiros para atender suas necessidades”, destacou o prefeito.

Investimento local

A Petrobras investiu cerca de R$ 14 milhões na construção do terminal, que tem capacidade para receber até 60 mil pessoas/mês. O novo prédio conta com cerca de 900 metros quadrados de área, com dois pavimentos, onde funcionam as dependências administrativas e de segurança patrimonial no piso superior, além do saguão de recepção no piso térreo e demais dependências de apoio para os funcionários. Trata-se de um terminal com características para atender o chamado serviço offshore, que presta apoio ao trabalho desempenhado nas plataformas marítimas de exploração de gás e petróleo.

Em novembro do ano passado, o Daesp anunciou investimentos de R$ 40 milhões em obras de expansão e melhorias no aeródromo itanhaense. O pacote inclui a ampliação da pista principal para 1.550 metros e expansão das áreas de estacionamento de veículos e de aeronaves, além de sistema de telecomunicação aeroportuária.

Marco Aurélio destaca que o Aeroporto de Itanhaém funcionará como um passaporte para o desenvolvimento socioeconômico. “Ao incentivar a atividade de aviação regional, proporcionamos condições para que o setor de serviços se desenvolva cada vez mais, gerando novos postos de trabalho”.

Em 2015, no período de janeiro a abril, o Aeroporto Estadual de Itanhaém registrou o movimento de 6.046 pousos e decolagens, além de 4.905 passageiros, conforme dados estatísticos do Daesp.