Consumidor do litoral paga mais caro na gasolina do que a média da Capital

05/03/2015 11h41 – Atualizado em 05/03/2015 11h41

ANP aponta que o preço médio do etanol em Cubatão está em R$ 2,39.
Itanhaém é a cidade que tem o segundo maior preço da gasolina no Estado.

Mariane Rossi Do G1 Santos

Posto de combustíveis em São Vicente, SP (Foto: Mariane Rossi/G1)Posto de combustíveis em São Vicente, SP (Foto: Mariane Rossi/G1)

O preço médio do etanol em Cubatão (SP) é o maior do Estado de São Paulo, segundo Levantamento de Preços e de Margens de Comercialização de Combustíveis da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O último levantamento feito pelo órgão, entre os dias 22 e 28 de fevereiro, aponta que o preço médio do etanol em Cubatão, em oito postos pesquisados, está em R$ 2,39, R$ 0,32 mais caro que o preço médio praticado na cidade de São Paulo. Na região, Santos fica em segundo lugar no preço médio do etanol, com R$ 2,35. A cidade que tem o etanol mais barato na Baixada Santista é Praia Grande, onde o motorista paga, em média, R$ 2,21 pelo litro do combustível.

Itanhaém é a cidade que tem o segundo maior preço da gasolina no estado de São Paulo e a gasolina mais cara da Baixada Santista. O motorista paga R$ 3,38 pelo litro do combustível. O preço mais barato da gasolina foi encontrado também em Praia Grande, R$ 3,26.

O Levantamento de Preços e de Margens de Comercialização de Combustíveis, da ANP, não coleta dados de três cidades da Baixada Santista: Mongaguá, Bertioga e Peruíbe.

Victor mora em Santos mas coloca gasolina no carro em São Vicente (Foto: Mariane Rossi/G1)Victor mora em Santos mas coloca gasolina no
carro em São Vicente (Foto: Mariane Rossi/G1)

O frentista Germano Lopes, que trabalha em um dos postos de combustíveis de São Vicente, diz que os clientes reclamam muito com os valores. “O pessoal fica revoltado porque não tem como explicar tanto aumento. As pessoas tem colocado mais álcool do que gasolina”, fala.

Já o eletricista Victor Monteiro diz que percebeu o aumento do preço na região pesou bastante. “Abasteço a mesma quantia e agora vem menos litros. Acabamos tendo que gastar mais porque temos que andar do mesmo jeito”, afirma. Ele mora em Santos e, às vezes, coloca gasolina em um posto de São Vicente para economizar. “Aqui parece ser mais barato”, diz.

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo (Sincopetro), Jose Alberto Paiva Gouveia, entende que o valor varia do posto de combustivel, da localização e também dos serviços que o estabelecimento oferece. “O consumo na Baixada também é menor. Você vende menos e fica com o capital preso. Em São Paulo tem postos mais baratos e mais caros que os da Baixada. E cada vez que o posto exagera no preço, o maior fiscal disso é o consumidor,” afirma.

Já José Camargo Hernandes, presidente do Sindicombustíveis Resan, o sindicato do setor da Baixada Santista, prefere não se pronunciar sobre o preço dos combustíveis. Ele também acredita que cada posto tem sua logística e também uma forma de administrar os custos.

Confira o preço médio do etanol e da gasolina na Baixada Santista
De 22 a 28 de fevereiro

Preço médio do etanol
Cubatão – 2,395
Santos – 2,351
Itanhaém – 2,321
Guarujá-  2,274
São Vicente – 2,224
Praia Grande – 2,213
Mongaguá, Bertioga, Peruíbe – Sem dados

Preço médio da gasolina
Itanhaém 3,381
Guarujá 3,334
Cubatão 3,333
Santos 3,323
São Vicente 3,291
Praia Grande 3,266
Mongaguá, Bertioga, Peruíbe – Sem dados